Páginas

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Menina Preta- Kaena Adrielle

Gente, tive uma surpresa super agradável quando essa preta de 16 anos me contou a histórias dela. A Kaena Adrille é lá do Rio Grande do Sul e entre um “guria” e outro ela foi me deixando boquiaberta com seus relatos. Conta aí Kaena : Pra falar a verdade eu nunca gostei do meu cabelo, por causa do que os outros falavam... principalmente na escola. Era deprimente. E quando me mudei para o RS a situação piorou de vez, afinal, ser a única guria do “cabelo ruim (como dizem os que acham que estão na alta) numa escola com pessoas que seguem o padrão de beleza de que pra ser bonita tem que ter o cabelo lisinho e outras baboseiras não é a melhor coisa do mundo...
 A gente sabe que essa coisa do cabelo não é simplesmente pelo cabelo né pessoal, há muito mais por traz disso, mas enfim, conclusão: Kaena também alisou a cabeleira pra tentar se livrar do fala-fala mas, a química sempre tem efeito colateral, alisamentos ressecam, quebram e deixam o cabelo opaco e no caso da dela ainda escureceu as madeixas , essa violinista da qual vos falo ficou com química dois anos e decidiu dar um basta nessa escravidão do alisado e cortou tudo, deixou a cabeleira voltar ao natural e é aí que começa a parte mais impactante da história. 
 Kaena me disse que “quanto mais armado melhor” e mesmo por isso ela tem um black lindo, mas eis que ela levou uma rasteira: “Depois da transição o meu cabelo estava grande o suficiente, até que em um belo dia uma suposta amiga minha e outra fulana que estudavam comigo, resolveram fazer uma brincadeirinha idiota. Elas cortaram a parte de baixo do meu cabelo. Isso, isso mesmo! Guria eu fiquei muito brava e chorei de mais”. 
Calma aí, como assim elas cortaram o cabelo da menina? Não preciso dizer que chorei junto com aquela né..  Percebe-se aqui uma configuração descarada de intolerância, de racismo, afinal, Kaena  tem todos os traços de uma preta: nariz alado, lábio protuberante e cabelo carapinha. Só uma dica pra as meninas que cortaram o cabelo da nossa gatinha e pra própria nossa gatinha: Isso é crime. É inadmissível que isso aconteça e, eu me pergunto a qual estágio de preconceito racial situações como essas podem se elevar, afinal, a três garotas em questão são adolescentes e, duas delas, já possuem esses valores eurocêntricos tão arraigados que aceitar aquilo que se configura como diferente desse padrão deve ser absolutamente extinto e sabemos que o racismo sempre pode piorar, sempre pode ferir mais os direitos de alguém(s).
Só mais uma coisa, Kaena, você está diva e a gente tem orgulho de você ser uma Menina Preta viu..

Nenhum comentário:

Postar um comentário